'OUROBOROS/Buraco de Minhoca',

performance multimídia

2017

@ on_off / Itaú Cultural

em parceria com Veruscka Girio

aka Astronauta Mecanico

 

 

 

'Ouroboros/Buraco de Minhoca' é uma tentativa deliberada de subverter o curso natural da informação através dos sinais elétricos. Ventiladores e TVs de tubo conectadas a uma mesa de corte tem seu sinal de vídeo retroalimentado, gerando cores e formas infinitas. Inputs elétricos serão ativados e sofrerão quebras e terão seus sinais intencionalmente perdidos em trânsito ou acionados de forma desordenada.

Os ventiladores giram num movimento ouroboros infinito e em suas 'telas', é projetado filmes de arquivo do século 20.

Esse material de arquivo mostra o 'Homem' sempre em busca de ultrapassar as limitações da matéria de tempo-espaço : criando maneiras de se movimentar cada vez mais rápido. Primeiro criou a roda (ouroboros) e depois trens, carros, aviões, etc etc.

Esta performance propoê duas imagens em contraponto : a relação do homem com o tempo espaço (limitações) e a pura energia do circuito, que produz ilimitadas formas.

A obra foi comissionada para o Festival 'On_Off', no Itaú Cultural.

'Buracos de Minhoca' são atalhos hipotéticos pelo espaço-tempo, também conhecidos como pontes de Einstein-Rosen, assim chamados em homenagem a Albert Einstein e Nathan Rosen, que os previram em 1935. Buracos de minhoca intra-universos conectam um local em um universo a outro local do mesmo universo (no mesmo tempo presente ou não presente). Um buraco de minhoca deverá ser capaz de conectar locais distantes no universo criando um atalho através do espaço-tempo, permitindo viajar entre eles mais rápido do que a luz levaria para transitar pelo espaço normal.

Vídeo de arquivo que foi projetado nos elásticos